ATÉ NO FERIADO


Crueldade e covardia
Cachorrinha é queimada viva
em Palhoça (SC)
02 de novembro de 2010
.
Segundo veterinária, 85% do corpo do animal está em carne viva
Na casinha de boneca que há três anos foi “adotada” pela vira-lata Pedra, restam apenas os panos usados pela cachorrinha para dormir e o pote em que ela bebia água.
A cadela foi queimada viva na manhã de domingo, bem perto da casa da segurança Izabel Cristina de Macedo, 31 anos, que alimentava e cuidava de Pedra, que vivia na Barra do Aririú, em Palhoça, na Grande Florianópolis.
A médica veterinária Daniele Ody Spaniol recebeu a cachorrinha na tarde de segunda-feira, para tratar, na Clínica Palhoça, no Centro, e descreveu o seu estado de saúde:
“Ela está com a pele em carne viva em 85% do corpo. O rosto, o focinho, os olhos, está tudo desfigurado. Sem contar que a vulva dela está com ferimentos horríveis. Não dá para acreditar que alguém seja capaz de tanta crueldade. Talvez a tenham amarrado e queimado, introduzido alguma coisa no corpo. Nunca, na vida, tratei de um animal assim”, desabafou a veterinária.
Pedra foi abandonada ainda filhote na praia da Barra do Aririú, há três anos, com outros cachorrinhos da mesma ninhada. Na época, a filha de Izabel, Ana Cristina, hoje com 12 anos, passou a cuidar e a alimentar o bichinho. O restante da ninhada não sobreviveu. No primeiro ano de vida, a cachorrinha foi atropelada duas vezes e conseguiu se recuperar. Como é forte como rocha, foi chamada de Pedra.
Os moradores da praia da Barra preferem não apontar suspeitos, mas desconfiam de um grupo de garotos que estava próximo ao animal pouco antes do acontecido.
Sensibilizada com a força de Pedra, a médica veterinária que a atendeu já resolveu que vai adotá-la. Daniele torce para que a vira-latas sobreviva.
Quem quiser ajudar Pedra com ração e medicamentos pode entrar em contato com a veterinária pelo telefone (48) 3033-2503.
Pedra está sedada, recebendo soro, provavelmente nunca mais volte a enxergar e precisa de medicamentos como pomada e morfina todos os dias.
.
Fonte: Site ANDA - Diário Catarinense

2 comentários:

Vida Minha disse...

Eu não acredito no que acabo de ler Leon.
Como pode ter criaturas tão monstruosas nesse mundo para fazer isso com um ser indefeso asssim?
Cheguei a ficar tonta de tanta indignação.
Deus queira que ela sobreviva, e que bom que apareceu no caminho dessa cadelinha essa veterinária disposta a tirá-la da rua e cuidar dela.
Deus proteja as duas.
Bjs

Ana Cristina disse...

Amigo em plantos venho informar que na data de hoje no período da manhã, a querida Pedra, que foi tb chamada de Vida pela equipe que cuidou dela faleceu. Não resistiu aos ferimentos graves. Mais uma vez a crueldade humana venceu. Montei um blog a pouco e gostaria de receber umas dicas já que falamos a mesma língua.

Postar um comentário