CARTEIRO VIRTUAL: AGRADECIMENTOS


.
Recebemos um email de agradecimento ao nosso
serviço prestado. A seguir o email na íntegra:
.
Aproveito para agradecer a força que seu maravilhoso site tem dado para a nossa causa.
.
Saudações cordiais
Ana Lucia Andrade

CARTEIRO VIRTUAL: NOVA GATINHA (RUTH)


OI GENTE,
.
Drª Lia, do Planeta Pet, tem uma cliente que perdeu sua gatinha recentemente.
Quer adotar com urgência, uma outra que seja parecida com a sua. Deverá ser filhote, fêmea e amarelinha rajada (só quer assim por ser parecida com a que ela acabou de perder)Se alguém tiver alguma com essa descrição, favor ligar pra Drª LIA
fone: (71) 3237-0584 até o final da tarde. Após esse horário, ligar para (71) 88298573.
.
ATENÇÃO!!!
CASO NÃO TENHAM, POR FAVOR REPASSEM PROS AMIGOS.
.
Obrigada,
Ruth
.
.
.
Pedido enviado ao email do blog

MATÉRIA SOBRE O CIRCO


.
Em visita ao blog/parceiro "Mãe cão, Mãe Gato" na última quarta-feira encontrei um texto - O CIRCO: Porque circo legal não tem animal ? - de Maria Luiza Nunes, a presidenta do MGDA (Movimento Gaúcho de Desefa Animal) onde falava na exploração dos animais no circo.
Por sinal, postei até um comentário em nome do movimento e publiquei no nosso blog na secção "INTERNET-CÃO. leiam pelo link: http://movimentovamosadotarumcao.blogspot.com/2010/05/internet-cao-deu-na-rede-01.html
Hoje, vendo os pedidos do "Carteiro Virtual" vi o email da INFO SENTIENS sobre o mesmo assunto: O circo e seus animais. vejam a matéria que nos foi enviada:
.
O RESPEITÁVEL PÚBLICO NÃO QUER MAIS ANIMAIS EM CIRCOS!
Renata de Freitas Martins
.
INTRODUÇÃO
Atualmente estamos vivenciando um importantíssimo momento ético e legislativo em relação à presença de animais em espetáculos circenses.
Muitos os Estados e Municípios que atentaram para a questão, especialmente pelo crescente pleito da sociedade pelo fim da crueldade que a subsunção dos animais não-humanos aos animais humanos em circo significa. Atualmente são cinco os Estados que proíbem as apresentações, bem como mais de cinqüenta Municípios em todo o país.
Há ainda em tramitação projetos de leis em muitas cidades, alguns Estados, com destaque para a Bahia (PL 16.957/07, de autoria do deputado estadual Javier Alfaya) e também um de âmbito Federal, o PL 7291/06, tramitando atualmente na Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados.
A aprovação dos citados projetos de lei é de suma importância, conforme pode-se depreender dos argumentos que apresentaremos a seguir.

ORIGENS DA UTILIZAÇÃO DE ANIMAIS EM CIRCOS
Segundo Antônio Torres, em seu História do circo no Brasil (Funarte, 1998), é possível que a arte circense tenha suas raízes na Grécia antiga e no Egito. Os espetáculos desse período tinham a forma de procissões, cujo objetivo era celebrar a volta da guerra. Nesses cortejos, desfilavam homens fortes conduzindo os vencidos, trazidos como escravos, e animais exóticos, utilizados para demonstrar quão longe foram os generais vencedores.
Há, ainda, registros da presença da arte circense na China, onde a acrobacia era bastante popular, datados de mais de 4 mil anos. Relatos dão conta de que os chineses organizavam um festival anual desse tipo de apresentação. Dele teriam se originado os números da corda bamba e do equilíbrio sobre as mãos.
Espetáculos semelhantes ganharam força no Império Romano com a apresentação de habilidades incomuns em grandes anfiteatros, como o Circo Máximo de Roma e, mais tarde, o Coliseu, que comportava quase cem mil espectadores. Fazia parte da diversão, além da exibição de habilidades, a exposição do raro, do excêntrico, do inusitado - como animais exóticos, homens louros nórdicos, engolidores de fogo, gladiadores, entre outras atrações. No período de perseguição ao cristianismo, as arenas foram ocupadas por espetáculos de violência, como a sangrenta entrega de cristãos a felinos.
Com o passar do tempo, o impulso por divertir foi tomando novas formas e ocupando diferentes espaços. Durante séculos, artistas se exibiram em feiras populares, praças públicas e entradas de igrejas, com truques mágicos, malabarismo e outras habilidades julgadas incomuns.
O circo moderno, na forma como conhecemos hoje, com espetáculos pagos, picadeiro, cobertura de lona e cercado de arquibancadas, é invenção mais recente. Foi criado em 1770, por Philip Astley, suboficial inglês que comandava apresentações da cavalaria. Em seu circo, além das atrações com cavalos, Astley incluiu saltimbancos e palhaços. O enorme sucesso do espetáculo em Londres inspirou a criação de apresentações semelhante em toda a Europa e para além dos limites do Velho Mundo.
Nos Estados Unidos, primeiro país das Américas a receber essa atração, o circo consolidou sua característica itinerante, ao viajar por distintas cidades para fazer apresentações. Também nos Estado Unidos, o espetáculo consagrou a apresentação do que se consideravam excentricidades - mulheres barbadas, anões, gigantes, gêmeos siameses, pessoas muito velhas e deformações humanas e animais.
No Brasil, há registro da existência de pequenos espetáculos circenses a partir do final do século XVIII, provavelmente trazidos por ciganos expulsos da Europa. Em suas apresentações, esses artistas utilizavam doma de animais, números de ilusionismo e até teatro de bonecos. O circo moderno, no entanto, só chegou ao país no século XIX. Incentivadas pelos ciclos econômicos do café, da borracha e da cana-de-açúcar, grandes companhias européias vieram apresentar-se nas cidades brasileiras. Foram essas companhias que ajudaram a formar as primeiras famílias de circo, responsáveis pelo progresso da arte circense no Brasil.
O desenvolvimento do circo brasileiro não se deu em termos de espaços e equipamentos - concentrou-se no elemento humano, na sua destreza e habilidade. Foram mantidos números clássicos, como o do engolidor de fogo ou o da corda bamba, e criadas novas atrações adaptadas à cultura local. Os nossos palhaços, por exemplo, sempre falaram muito e usaram um tipo de humor mais malicioso, diferentemente do palhaço europeu, que era, por tradição, um mímico. Os números perigosos como o trapézio ou a doma de animais também ganharam mais espaço por de certa forma agradar muito aos brasileiros, à época desprovidos de informações sobre doma, manutenção dos animais nos circos e afins.
O circo que conhecemos é, portanto, fruto da evolução da arte circense. Esse espetáculo tradicional, familiar, composto de palhaços, trapezistas, mágicos e domadores, que povoou a infância de muitos e ocupa espaço na memória nacional, passa, no presente, por novas mudanças, seguindo o seu curso de evolução.
O surgimento dos grandes centros urbanos, o desenvolvimento tecnológico, o crescimento da economia da cultura, a concorrência de novas formas de entretenimento levaram os espetáculos circenses a se profissionalizar e a se concentrar na performance dos artistas.
Nesse novo cenário, o conhecimento circense não se transmite somente de pai para filho - exige preparo em escolas especializadas. Hoje são poucos os circos que continuam familiares.
Muitos donos de empreendimentos circenses que atuaram nos picadeiros preferem zelar para que seus filhos estudem e permaneçam no circo não como artistas, mas como administradores. A mudança nos valores e no perfil da nossa sociedade, cada vez mais urbana, tem criado uma demanda mais sofisticada e mais cosmopolita para a arte. Para adaptar-se aos novos tempos, os circos já vêm incorporando tentativas de desenvolver um diferente tipo de espetáculo que envolva novas linguagens além das atrações tradicionais.
O circo contemporâneo - ou novo circo, como alguns historiadores o chamam - apresenta um modelo que prospera atualmente, conhecido como circo do homem, por envolver somente a figura humana nas performances, excluindo a participação de animais. Seu formato, ainda em processo de desenvolvimento, representa uma tentativa de adaptar as artes circenses às exigências do mercado artístico contemporâneo, de fazê-lo acessível a todos os públicos, respeitando os valores sociais, sem deixar de cumprir os objetivos primordiais do circo: proporcionar alegria, ilusão e fantasia, em favor do entretenimento. Vários circos internacionais, como o Cirque du Soleil, do Canadá, e o Circo Oz , da Austrália, adotam essa nova abordagem artística, que não admite o uso de animais, cedendo espaço para as performances humanas. No Brasil, muitos circo s orientam-se por essa concepção, como o Circo Popular do Brasil, a Intrépida Trupe, os Irmãos Brothers, o Circo Roda Brasil, o Teatro de Anônimos, entre tantos outros.
Esse novo modelo tem contribuído para a valorização do artista circense, criando um mercado promissor e altamente competitivo para esse profissional, com a remuneração associada à sua habilidade e ao grau de dificuldade da exibição.

MANUTENÇÃO E TREINAMENTOS DE ANIMAIS EM CIRCOS: GENERALIDADES
É sabido que os animais não humanos são dotados de sentimentos e instintos. Assim, como os animais ditos racionais, sentem dor, medo, angústia, stress, prazer, desprazer, tristeza, etc. São seres sencientes e que devem ter a mesma consideração à vida que qualquer outro ser vivo, pois estão todos em um mesmo patamar moral.
Nos circos, para que o animal se apresente manso e obediente, cada espécie é treinada de uma determinada forma a seguir explicitada:

ELEFANTES
"Como fazer para conseguir a atenção de um elefante de 5 toneladas. Surre-o. Eis como." (Saul Kitchener - diretor do San Francisco Zoological Gardens)
Antes de chegarem no circo, passam por meses de tortura. São amarrados sentados, numa jaula onde não podem se mexer para que o peso comprima os órgãos internos e causem dor;
Levam surras diárias, ficam sobre seus próprios excrementos até que passem a obedecer;
Elefantes se comunicam, vivem em grupos com papéis sociais definidos, são extremamente inteligentes, ficam de luto por seus mortos e são capazes de reconhecer um familiar mesmo tendo sido separado dele quando filhote;
Sofrem de problemas nas patas por falta de exercícios, pois na natureza elefantes andam milhares de quilômetros todos os dias;
No circo os elefantes permanecem acorrentados o tempo inteiro. Mexer constantemente a cabeça é uma das características da neurose do cativeiro.
LEÕES, TIGRES E OUTRO FELINOS
De acordo com Henry Ringling North, em seu livro "The Circus Kings", os grandes felinos são acorrentados a seus pedestais e as cordas são enroladas em suas gargantas para que tenham a sensação de estarem sendo sufocados;
São dominados pelo fogo e pelo chicote, golpeados com barras de ferro e queimados na testa pelo menos uma vez na vida para que não esqueçam da dor;
Muitos têm suas garras arrancadas e presas extraídas ou serradas;
Passam a maior parte de sua vida dentro de jaulas apertadas.
URSOS
Tem o nariz quebrado durante o treinamento;
Suas patas são queimadas para força-los a ficar sobre duas patas;
São obrigados a pisar em chapas de metal incandescente ao som de uma determinada música. No picadeiro, os ursos escutam a mesma música usada durante o "treinamento" e começam a se movimentar, dando a impressão de estarem dançando;
Muitos tem garras e presas arrancadas. Já foi constatado um urso com 1/3 de sua língua arrancada;
Alguns ursos se auto mutilam, batendo a cabeça nas grades e comendo suas próprias patas.
MACACOS
Apresentam o mesmo comportamento de crianças que sofrem abusos;
Até 98% do DNA dos chimpanzés é igual ao DNA humano;
Apanham para obedecer e obedecem apenas por medo;
Roer unhas e auto mutilação são comportamentos freqüentemente encontrados em macacos cativos;
Os dentes são retirados para que o animal possa ser fotografado junto às crianças.
CAVALOS
São açoitados e confinados sem direito a caminhadas;
Apanham para aprender;
Muitas vezes, por terem que fazer os números em pisos inadequados, especialmente escorregadios, acabam adquirindo lesões irreversíveis, com fortes dores.
.
TODOS OS ANIMAIS EM CIRCO
Estão sujeitos aos instrumentos dos clássicos "treinamentos": choques elétricos, chicotadas, privação de água e comida;
Ficam confinados sem a mínima condição de higiene, sujeitos a diversas doenças;
O confinamento não lhes fornece o mínimo de condições de bem-estar, sendo, aliás, totalmente contrário à vida que teriam em seus habitats;
Não têm assistência veterinária adequada;
São obrigados a suportar mudanças climáticas bruscas e viajar milhares de quilômetros sem descanso.
Por estas razões é que diversas associações pelos direitos dos animais condenam e trabalham contra a presença de animais em circos, e esta atitude tem sido fomentada por grande parte do respeitável público circense, sendo que todos os fatos narrados podem ser comprovados por amplo material já produzido, especialmente no Brasil. Também incluiremos em tópico adiante alguns exemplos de acidentes já ocorridos, o que deixará ainda mais indubitável que lugar de animais não-humanos definitivamente não é em circos.
Com efeito, os animais obedecem não por índole, mas porque sentem dor, desespero, medo, raiva, aflição, insatisfação, incômodo, situações que, sem dúvidas são caracterizadas como crueldade e maus-tratos.

DOMESTICAÇÃO DE ANIMAIS SILVESTRES?
Animais silvestres ou selvagens são aqueles naturais de determinado país ou região, que vivem junto à natureza e dos meios que este lhes faculta, pelo que independem do homem.
Pois bem. Com esta definição de animais silvestres fica latente que a domesticação destes é algo totalmente anti-natural, e, portanto, é considerada maus tratos, já que para que esta existe, haverá que se retirar o animal de seu habitat natural, alterando-lhe toda uma estrutura de vida e costumes, podendo inclusive levar-lhes à morte.
Aliás, não apenas a retirada do animal de seu habitat que lhe trará malefícios, mas também, e, principalmente, os hábitos que o ser humano irá imputar-lhe, para que viva com essa nova "sociedade", portanto, mesmo que sejam originários da vida em cativeiro, as condições de vida que lhes são imputadas nada têm a ver com as necessidades que têm.
Em circos, normalmente os hábitos novos imputados aos animais são dos mais cruéis. Animais são forçados a realizar malabarismos e diversos outros números para entreter o público, porém, para que "aprendam" a fazer tudo que seus domadores desejam, sofrem demais.
Devemos finalmente ressaltar que, animais silvestres, apesar de em tese terem sido domesticados, podem revoltar-se, e então, ninguém será capaz de pará-los. Temos exemplos recentes de acontecimentos fatais por causa desta insistência de alguns circos em manterem animais em seus números, como a morte do garoto Juninho em Pernambuco, que fora puxado para dentro da jaula de leões famintos e lhes servindo de refeição, após três dias de total jejum.
Assim, é inquestionável que lugar de animal silvestre é na natureza, seu habitat natural, e que a diversão humana, sadia e inteligente, imprescinde do sofrimento de outrem, afinal de contas, artistas de circos sem animais são muito criativos, talentosos e capazes de entreter seu público. Nada como o bom e velho palhaço, os malabaristas, trapezistas e mágicos!
.
E OS ANIMAIS DOMÉSTICOS?
Também é comum encontrarmos animais domésticos, como cães, gatos e cavalos em apresentações de espetáculos públicos. Mas será que o simples fato de serem domésticos é permissivo para que seus tutores façam o que bem entenderem com eles?
Do mesmo modo que os animais silvestres nativos e exóticos, os domésticos indubitavelmente também possuem sua tutela legal e jurídica albergada por nossa legislação em vigor.
Ademais, de se ressaltar que animais domésticos são seres especialmente de companhia e não devem ser submetidos a longas jornadas de treinamento e trabalho, sendo obrigados a realizar atividades totalmente contrárias à sua natureza, bem como estando expostos a músicas em altos sons, gritaria e afins (lembrando-se que a audição dos animais é extremamente mais sensível e potente que a dos humanos. O cavalo, por exemplo, possui uma acuidade auricular quatro vezes melhor que a dos humanos).
De se ressaltar ainda que um animal só aprende determinado procedimento após repeti-lo incontáveis vezes, por reflexos condicionados, e, portanto, mesmo se tratando de um animal doméstico, não há nada natural em se forçar um cão a ficar constantemente apoiado apenas em duas patas ou então que um gato pule de uma altura de 20 metros ou ainda um cavalo dando pinotes em minúsculos palcos escorregadios, por exemplo.
Finalmente, não poderíamos deixar de citar os danos físicos que acometem os animais domésticos, que chegam até mesmo a pagar com suas próprias vidas para realizarem algum número forçado por seus "treinadores", ou ainda pelas condições lastimáveis em que são mantidos, em espaços minúsculos e sem higiene, propensos a adquirirem inúmeras doenças e em notório estado de maus tratos.

ILEGALIDADE E INCONSTITUCIONALIDADE
Além de legislação específica já em vigor em determinados locais, conforme já citamos, devemos também atentar que nossa legislação ambiental alberga a tutela dos animais, inclusive todos aqueles utilizados em circos.
A Constituição da República, no capítulo do Meio Ambiente, assim dispõe:
"Art. 225 - Todos têm direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, bem de uso comum do povo e essencial à sadia qualidade de vida, impondo-se ao Poder Público e à coletividade o dever de defendê-lo e preservá-lo para as presentes e futuras gerações.
§ 1° - Para assegurar a efetividade desse direito, incumbe ao Poder Público:
(...)
VII - proteger a fauna e a flora, vedadas, na forma da lei, as práticas que coloquem em risco sua função ecológica, provoquem a extinção de espécies ou submetam os animais à crueldade."
Importantíssimo ainda a tutela aos animais albergada pelo Decreto Federal 24.645/1934:
"Art. 1° - Todos os animais no país são tutelados do Estado.
Art. 2°, § 3°: Os animais serão assistidos em juízo pelos representantes do Ministério Público, seus substitutos legais e pelos membros das sociedades protetoras dos animais.
Citado decreto, inclusive, já proíbe a apresentação de animais em circos desde o ano de 1934, conforme podemos depreender de seu artigo 3º, que em rol exemplificativo traz situações que tipificam situações de maus tratos, e especialmente em seu inciso XXX, assim considera a exibição de animais em casas de espetáculos para a realização de acrobacias, ou seja, exatamente as atividades praticadas por circos.
Já a Lei de Crimes Ambientais (Lei federal n° 9.605/1998), finalmente, contempla o seguinte tipo:
"Art. 32 - Praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos."
Assim, devemos ressaltar que a proteção de todos os animais está albergada em nossa legislação, sendo crime qualquer ato que prejudique o animal, seja ele um cão poodle, um cavalo ou animais exóticos utilizados em apresentações circenses (elefante, urso, camelo).
E não obstante a questão legal abordada, a preservação da VIDA, seja ela de qual forma for, há que prevalecer como objetivo primordial e essencial na consciência e ética humana e ambiental. O ser humano deve alcançar a tão necessária evolução e parar definitivamente com a arcaica e irracional exploração de animais, tornando-se finalmente um ser racional, condição da qual tanto se orgulha de ostentar.

DOS DISPOSITIVOS DO IBAMA A RESPEITO DE ANIMAIS EXÓTICOS EM CIRCOS
Mister também ressaltarmos que, mesmo que se considerasse a possibilidade de manutenção de animais em circos, os animais presentes atualmente em circos de modo algum poderiam estar atualmente sob a tutela dos circenses, tendo em vista que é notório a qualquer leigo a falta de condições adequadas para a dignidade destes animais.
Conforme portaria IBAMA n.º 108/94, que regulamenta a manutenção de algumas espécies de animais exóticos por pessoas físicas ou jurídicas, dentre elas, aqueles mais comuns mantidos por circos como o Ursus arctus (urso pardo), o Elephas maximus (elefante asiático), o Panthera leo (leão) e o Panthera tigris (tigre), algumas exigências devem ser atendidas. As principais são:
- assistência permanente de pelo menos um médico veterinário;
- que o animal seja sexado e marcado (leia-se microchipado);
- apresentação de relatório anual (atualmente também com relatórios resumidos trimestrais a serem apresentados via internet);
- proibição de visitação pública;
- recinto nos mínimos padrões exigidos:
Urso
Área - 100 m² / 600 m³ (se arbícola)
Abrigo - 15 m²
Tanque - 15 m² / 2m profundidade
Área de Cambiamento - 10 m²
Piso - camada de terra 2,0 sem concreto.
Elefante (Proboscidae)
Área - 1000
Tanque - 100 m² / 3m profundidade
Área de Cambiamento - 2 x 50 m², altura mínima de 100 m
Piso - areia/terra, sem concreto
Especificidade: cambiamento em concreto. Portas de trilho reforçado.
Leão e Tigre
Área - 60 m² / 150 m³
Abrigoo - 15 m²
Área de Cambiamento - 3 x 6 m²
Piso - areia/terra, sem cimento
Tanque: 10 m² / 1,0 m profundidade.

Além das regras citadas, o transporte desses animais apenas poderá ser feito com a obtenção das respectivas guias de transporte (GTA), estando os animais com todas vacinações em dia, bem como com estado de saúde totalmente perfeito.
Importante também lembrar que é proibido no país a entrada de espécie exótica sem as devidas autorizações (artigo 31 da Lei de crimes ambientais), e, portanto, mesmo que filhotes tenham nascido no país, necessário comprovar-se a origem dos animais, bem como de todos seus ascedentes, pois a existência de ao menos um único animal que tenha entrado no país de forma ilegal, já enseja a ilegalidade de todos os seus descendentes.
Portanto, sem necessidade de conhecimento técnico algum, apenas pela simples observação, é notório que algumas das normas basilares para se tutelar os animais não são observadas minimamente pelo circo, especialmente no que se refere à questão de visitação pública e de padrões mínimos de recintos.

ALGUNS FATOS OCORRIDOS EM CIRCOS COM ANIMAIS NO BRASIL
São muitos os acidentes com animais em circos, prejudicando os próprios animais, bem como seus tratadores, outros componentes dos circos, o público e a população em geral. Para não nos tornarmos muito prolixos, selecionamos apenas alguns dos fatos para exposição a seguir, apenas a título de mera exemplificação prática:
- Bady Bassit/São José do Rio Preto/SP, abril de 2008: leão solto por circo causa pânico na região;
- Mata de São João/BA, dezembro de 2007: macaco arranca parte do dedo de uma menina de 3 anos. Animal fica em jaula improvisada em carrinho de supermercado;
- Cuiabá/MT, dezembro de 2007: leão pula muro e foge de circo;
- Vitória/ES, outubro de 2007: mulher tem braço amputado após mordida de leão de circo que tentou acariciar.
- Palhoça/SC, maio de 2006: elefante foge de circo;
- Itaboraí/RJ, fevereiro de 2006: leão é encontrado em jaula aberta escorada apenas com uma tábua em frigorífico abandonado;
- Uberaba/MG, dezembro de 2005: 5 leões são abandonados por circo m estrada;
- Ervália/MG, julho de 2005: macaca chimpanzé arranca dedo mínimo de criança de 12 anos que estava em circo que se apresentava na cidade;
- Campos do Jordão/SP, julho de 2005: dois tigres morrem no circo Stankowich. A priori afirmou-se que fora de frio, porém, após, em laudo feito por veterinário do circo, ficou constatada morte por vírus transmitido por gato doméstico, o que no sugere a ingestão de animais domésticos pelos animais do citado circo, já que representantes do circo tentaram descartar o cadáver de um dos animais, abrindo-lhe e queimando as vísceras, inclusive.
- Restinga Seca/RS, junho/2005: criança de oito anos sofreu ferimentos ao encostar em grade de leão, o qual acabou sendo executado com choque elétrico, por meio de aparelho para este fim portado por seu treinador;
- Lavras do Sul/RS, maio/2005: homem é atacado por um tigre de circo, tendo seu braço esquerdo amputado;
- São Paulo/SP, fevereiro de 2005: chimpanzé Dolores, após ter sido retirada do circo Di Napoli pelo IBAMA, estando depressiva e com bronquite crônica, finalmente é encaminhada para um santuário após decisão judicial;
- Antônio Carlos, Florianópolis/SC, julho de 2004: dois leões e dois tigres são apreendidos em um circo, após serem encontrados desnutridos e em jaulas soldadas;
- Curitiba/PR, junho de 2004: IBAMA precisa encontrar um novo lar para 2 leões que estavam com um particular e não têm mais condições de mantê-los. Animais nascidos em circo;
- Iguaraci/PE, abril de 2004: o urso pardo Bruno, maltratado e desnutrido é simplesmente abandonado por circo no sertão do Pernambuco;
- Penha/SC, março de 2004: morre gato em conseqüência de queda na apresentação do número "pulo do gato" em circo em Santa Catarina;
- Aparecida de Goiânia/GO, dezembro de 2003: tigresa da espécie real de bengala ataca tratador, mordendo antebraço e bíceps do rapaz, o qual teve sérios ferimentos, tendo que ser submetido a cirurgia para tentar recuperar os movimentos;
- São Paulo/SP: Bambi, elefanta presente no circo Stankowich escapa para a Radial Leste em pleno horário de rush;
- Penha/SC, outubro de 2003: morre Madú, elefanta que viveu anos em um circo e passou o final de sua vida em um outro circo em Santa Catarina. No laudo atestava-se que a elefanta morreu com um raio na cabeça, apesar de ter vivido ao redor de uma cerca eletrificada e de diversas testemunhas terem presenciado sua cruel morte por eletrocussão;
- Sumaré/SP, janeiro de 2003: circo Stankowich abandona três leões no centro da cidade de Sumaré/SP, alegando não querê-los mais. Os animais foram encaminhados em estado lastimável de saúde para o Santuário Ecológico Rancho dos Gnomos, sendo que um dos animais estava tão debilitado, que veio a óbito;
- Maracanaú/CE, dezembro de 2001: leoa morta a tiros depois de escapar em circo no Ceará;
- Curitiba/PR, agosto de 2001: trapezista do circo imperial do México teve que amputar braço após ter sido atacado por leoa;
- Atibaia/SP, abril de 2000: circo Bartholo abandona 3 leões e 1 leoa em terreno baldio;
- Recife/PE, abril de 2000: leões matam garoto. Quatro leões famintos do circo Vostok puxam o garoto Juninho para dentro da jaula no intervalo da apresentação do espetáculo circense. Garoto tem uma morte trágica e cruel e os animais são todos mortos. Em exame necroscópico, há a constatação de que os animais não comiam há dias.
.
CONCLUSÕES
Os legisladores baianos, bem como os federais deverão atentar-se que o circo contemporâneo apresenta um modelo que prospera atualmente, conhecido como circo do homem, por envolver somente a figura humana nas performances, excluindo a participação de animais.
Além disso, a utilização de animais não humanos para tentativa de atraçãode um suposto público é uma ultrapassada e falidaestratégia de marketing, tendo em vista que o anseio da sociedade moderna há tempos vem evoluindo, de modo que não mais aceitam o tratamento de animais não-humanos como se meros objetos fossem, além de se ressaltar que já se trata de atividade ilegal e inconstitucional, conforme rol legislativo já citado e pela indubitável crueldade que tal ato significa.
Também não há que se falar em educação, arte e cultura na apresentação de animais em situações totalmente estranhas às suas naturezas, além de toda uma vida submetida às jaulas e à itinerância, sob todo tipo de intempérie climática. Educação, arte e cultura não são feitas e nunca o serão por meio da exploração de qualquer forma de vida que seja, pois caso contrário teríamos um enorme contra-senso. Qual seria a lição a se transmitir a uma criança ao fazê-la ver um elefante subindo em um banquinho? Ou um leão e um tigre pulando um arco de fogo? Ou ainda um urso dançando ou andando de bicicleta? Um gato pulando de uma altura de dez metros e se espatifando no chão? Não vejo outra a não ser a de que animais seriam seres inferiores e que o humano ("todo-poderoso") pode dominá-lo e fazer o que quiser...
Assim, roga-se que legisladores tenham uma atuação ética e não antropocêntrica, coadunando-se com as tendências mundiais morais globais, e finalmente votando e aprovando o PL do Estado da Bahia 16.957/07 e o PL federal 7291/06, proibindo-se a apresentação e manutenção de quaisquer animais não-humanos nos circos e espetáculos assemelhados.
E que o respeitável público ostente mesmo esse título de respeitável e continue evoluindo em seus conceitos éticos, morais e legais, não aceitando a crueldade como cultura e arte.

ESTREIA NO BLOG: COLUNA NATI MÃEZONA


.
Vendo o crescimento do blog, dia-a-dia, sinto-me plenamente realizado na proposta que idealizei pra ele. Pois está cumprindo sua função na risca. Ou seja, está ajudando um monte de pessoas (aquelas sensibilizadas e preocupadas) na causa de adoção dos animais de rua.
Em poucos dias de lançada, vi a secção “Carteiro Virtual” despontar em número de postagem no blog. Por ela, posso dizer que o serviço de utilidade pública implantado por mim é um grande sucesso! Nosso carteiro recebe diariamente uma média de 8 a 10 emails, todos com pedidos de adoção e mais, vindos de várias cidades do país. É fácil perceber que a credibilidade assim como a responsabilidade é grande, pois faço questão de publicá-los sem demora, no propósito de ajudar a tirar da rua o animal que foi abandonado (por inúmeras razões de insensatez) e sofre o suficiente para mexer com o nosso sentimento de amor a qualquer bicho que seja.
Outro motivo pra comemorar é em relação às entrevistas do “Papo de Ventilador”. Já estamos na quarta entrevista, essa última, com Nati do blog “Mãe Cão, Mãe Gato” que abraçou essa causa com braços de “mãezona” e está muito feliz com seus filhotes caninos e felinos na barra da sua saia.
Ao pensar na sua vasta experiência não pensei duas vezes em chamá-la para fazer parte do nosso blog, como colunista na coluna “Nati Mãezona” que trará para nosso público, bons artigos que ilustrará toda sua vivência ao lado dos bichos (Leia a entrevista). Tai, se existe uma pessoa com o sentimento 100% materno, essa pessoa é Natália (a Nati para os mais próximos).
.
Convido a todos seguidores e visitantes a prestigiar a recente novidade em nosso blog, a coluna da Nati “mãezona” e sua maneira de vê os bichos de uma forma bem peculiar.
O convite está feito, agora só nos resta esperar, pois em breve ela estará aqui com a gente... Aguardem!

REPORTAGEM E ENTREVISTA COM A "MÃE CÃO, MÃE GATO"

Minhas idas e vindas na internet têm causado grandes surpresas e a última foi ter encontrado um blog de um nome muito sugestivo: O Mãe Cão Mãe Gato que soa como mãezona para esse queridos peludos, que tão um trabalho danado como qualquer outro filho (independente da idade) a seus pais.
Então me deixei levar pela coceira da curiosidade e convidei para uma entrevista a Mãe Cão Mão Gato aqui no nosso blog. A Nati teve uma calorosa receptividade e topou na hora “matar” um curioso respondendo nossas perguntas. Vejamos:
.
Há um ano, Natalia Domingues, uma gaúcha de Porto Alegre, vem escrevendo em seu blog suas experiências de vida com cães gatos e outros animais. São histórias de suas vivências, dicas e posts sobre adoção.
.
O maecaomaegato.blogspot.com, surgiu para transformar seu gosto pela escrita na tentativa de trocar idéias com pessoas que tem seu mesmo amor: os animais.
Apreciado e seguido por pessoas de diversos lugares do Brasil e de Portugal, o Mãe Cão, Mãe Gato é um blog descontraído, que na simplicidade busca ajudar aqueles que nos proporcionam o amor incondicional e muitas alegrias.
.



.
.
............................................................Nati e seu filhote, canino é claro!
.
1. De onde veio a ideia do nome “Mãe cão mãe gato”?
Sempre fui criada com muitos bichos. E desde pequena, uma cultura antiga já em minha família adotou animais de rua ou aqueles que “já não agradavam” mais seus donos acabavam por serem deixados lá em casa. Por isto, todos os animais que até hoje passaram por meus cuidados, sempre os chamei de filho e aquela clássica expressão “vem com a mãe”... Foi daí que veio a idéia de criar um blog que eu pudesse contar as histórias dos meus animais, e uma maneira de conscientizar as pessoas trazendo novidades, dicas e as vivências do dia a dia. Mãe Cão, Mãe gato expressa uma forma de ser mãe!
2. O nome Mãe cão mãe gato revela que você parece ser uma mãezona, é verdade? Bate no coração um sentimento materno pelos cães e gatos ou por qualquer animal?
Ainda não tive a experiência de ser mãe. Mas quem é, diz que o coração é todo para o filho. E isto eu tenho... A forte emoção de estar com meus filhos cães e gatos, de contar as horas para chegar em casa e estar com eles. É um sentimento que nutre um amor inexplicável. Amo muito os animais!
3. Qual a diferença de comportamento entre um cão e o gato? O cão é fiel, mas não é tão amoroso e o gato é chegado a um carinho, porém não é muito apegado, é isso mesmo?
Os dois são muito amorosos. Apenas expressam de maneira diferente. A experiência que tenho com cães e com gatos, mostrou sempre um grande amor nas duas espécies. Inclusive entre eles aqui em casa o relacionamento é super harmonioso. Acho que o amor é muito bem dividido e eles retribuem com casa ronrom e cada lambida...
4. A Mãe cão mãe gato é voltada somente para cães e gatos?
O blog é direcionado aos animais. Até porque já tive outras espécies pelo qual cuidei adotando provisoriamente minha casa para tirar das ruas, como uma macaca sagüi e uma cabrita. Todos retirados da rua ou dos donos por maus tratos.
5. Vocês trocam muitas informações com pessoas, donas de cães e gatos ou não necessariamente?
Muito! Trocamos muitas experiências e até solidariedade quando um filho ou outro acaba morrendo. O blog é uma forma de trocar pensamentos através da escrita.
6. O brasileiro tem um gosto especial para cães e gatos?
O Brasileiro é muito afetuoso por natureza. Com certeza deve ser o povo que mais luta pelas causas animais.
7. Os cães e os gatos precisam de pessoas que sejam uma “mãe cão mãe gato”?
Precisam e muito! Felizmente conheço muitas pessoas do bem que adotaram a causa animal como sua tarefa no mundo. As pessoas mal podem imaginar que adotar provisoriamente um animal, tratá-lo e doá-lo para alguém que realmente goste já é uma grande atitude! Só ficam culpando o poder público... Isto não adianta nada! Se tivermos uma causa e sabemos que ela nos toca temos que arregaçar as mangas e ir à luta.
8. Você conhece alguém que gosta mais de um cão do que de um gato ou vice-versa?
Conheço. Mas são pessoas que não tiveram a oportunidade de ter os dois juntos. É uma experiência incrível!
9. Quem é melhor companhia, um cão ou um gato? Existem diferenças, quais?
Os dois são excelentes companheiros. Quando estamos tristes, quando estamos felizes eles estão sempre junto conosco. Vibram em nossa sintonia. E acredite: eles sentem e entende tudo, tudo mesmo.
10. A discussão é infinita quando se trata de cão e gato? Existem torcidas organizadas?
Através do mundo dos blogs percebo que existem pessoas mais afeiçoadas a gatos e outras mais a cachorro, mas acho que isto não significa nada. Quando a pessoa gosta de animais o amor bate sempre mais forte. Percebo que o simples fato de gostar de animais em geral faz as pessoas serem solidárias e buscar o bem estar, independente da espécie ou da raça. O Amor sempre vence!
11. Por que há tantos cães e gatos abandonados na rua? A culpa é da sociedade que é insensível a esse problema ou se trata de não termos uma política pública eficiente voltada para essa situação?
Infelizmente a política governamental influencia bastante nas questões de proteção animal. Percebo que os políticos tratam esta causa com menos prioridade. Porém a solidariedade é muito grande. Vemos hoje o crescimento das Ongs e da conscientização das pessoas para a adoção dos bichos de rua. Felizmente temos a internet e os meios de comunicação a nosso favor o que nos ajuda a trabalhar cada vez mais nas pessoas a solidariedade com os animais.
12. Os cães e os gatos são os que mais sofrem, por quê?
Devido à superpopulação de animais jogados nas ruas, os cães e gatos com certeza são os que mais sofrem. Tudo isto em função de que se reproduzem com muita facilidade. A castração resolve isto, e temos isto a baixo custo. Se cada pessoa pudesse pagar a castração de um cão e de um gato de rua, já resolveríamos boa parte deste problema.
13. Vocês da Mãe cão mãe gato concorda que não temos nenhuma solução imediata para o problema crônico dos animais de rua. E se temos, qual seria?
Não consigo enxergar soluções imediatas. Mas sou grande defensora do lar provisório e da castração. Quantos animais tirei da rua, solicitei castração e doei para alguém que cuida bem até hoje? Fica aí uma reflexão de uma simples atitude que pode mudar muita coisa...
14. Podemos dizer que o Brasil pode ser considerado um país que não cuida e não trata dos seus animais? Como vocês lidam com essa triste realidade?
Infelizmente vivemos em um país que não consegue cuidar bem nem de seu povo. Só que temos que pensar que cada um vem a terra com uma missão. E se nos identificarmos com a missão de cuidarmos dos animais, assim como existem pessoas que se solidarizam com pessoas, temos que lutar e lutar. Não podemos deixar para depois aquilo que podemos fazer agora. E os animais precisam de nós.
15. As ONGS da causa dos animais abandonadas faz da educação uma maneira de termos consciência sobre esse problema. Ou seja, será ela a responsável da nossa mudança de atitude. A Mãe cão mãe gato o que tem a dizer sobre o assunto?
Os Ongs ajudam e muito, pois além de acolher os animais conscientizam as pessoas de quanto é importante a adoção e mais do que isto, a posse responsável.
16. A educação serve como uma ferramenta aliada à questão dos animais de rua de que forma?
A educação vem de berço, como já dizia antigo ditado. Já tive experiência com pessoas que não gostavam de animais, mas como exigir isto delas se ao menos tiveram um contato com um bichinho? Educar para a causa animal é primeiramente gostar, se identificar com este problema. Tem que ter fibra, colocar a mão na massa e não se render quando um simples obstáculo aparece.
17. Recentemente a Rede Globo fez uma retratação sobre uma reportagem do programa “Boa dia Brasil” que tratava a eutanásia como uma das soluções (usadas com freqüência nas grades cidades) para tantos animais abandonados na rua, ou seja, matar um bicho virou controle populacional animal. Não existe um equivoco nesse controle? Qual seria a solução sem sacrificá-los?
Esta seria uma solução imediata para combater a superpopulação de cães e gatos. Porém acho uma solução triste e sem escrúpulos. Animais são seres vivos, que tem sentimentos, assim como nós.
18. O movimento de proteção animal tem de atingir em todos os campos, inclusive na internet, um meio altamente democrático. A união ainda faz a força? Como devemos fazer para que essa mobilização tenha sempre força em prol dos animais?
Acho que devagarzinho nosso movimento “do bem” está atingindo todos os meios de comunicação. Sem dúvida a internet é o meio mais democrático e com eles estamos conquistando grandes vitórias, principalmente em relação às adoções.
19. Vemos na internet um grupo cada vez maior voltado à causa dos animais. Qual a razão dessa crescente realidade?
Acho que num mundo moderno, onde as pessoas estão cada vez mais tristes, estressadas e infelizes, as pessoas descobrem o verdadeiro e incondicional amor que os animais nos oferecem e acabam descobrindo a grande vontade de lutar por eles, de abraçá-los de verdade. Acho que vem daí o grande crescimento de pessoas envolvidas com a causa animal.
20. Sabendo da dificuldade que passa todos os grupos que defendem os animais. Qual é a sua maior dificuldade e como podemos ajudá-la?
Eu não tenho uma ONG, mas procuro ajudar voluntariamente a várias. Acho que a maior dificuldade é a conscientizarão sobre o controle de animais de rua, através da castração.
21. O trabalho de adoção de animais é cansativo? Quem adota leva um animal tratado e quais são os tratamentos aplicados?
Este trabalho jamais é cansativo, pelo contrário ele é compensador. Todas as ONGS que freqüento trabalham com a Posse responsável, onde o animal só é doado mediante a alguns fatores, como a assinatura de um termo e apresentação do comprovante de residência. Geralmente quem adota se responsabiliza pela castração do animal, por suas vacinas e medicações. Em alguns casos, como os que citei daqui de casa, onde fiz de meu lar um lar provisório, o animal já é doado castrado e com todas as medicações em dia.
22. Quem é mais adotado: um cão ou um gato e qual é o percentual?
Desconheço os percentuais, mas pelas minhas “andanças”, vejo que as pessoas procuram mais o cachorro. Acredito que estes índices têm mudado bastante, já que gatos e cachorros têm suas particularidades e vai muito do que o adotante está procurando no momento.
23. Fale-me do seu trabalho voluntário? Tem muita participação voluntária?
Ajudo as ONGS, em feiras, eventos e na divulgação de campanhas de castração, adoção e doação de comida. Mas tenho mesmo é cedido o meu lar como provisório, para tratar de animais e doá-los posteriormente.
24. A Mãe cão mãe gato conseguiria viver sem seus cães e gatos? Ou melhor, o mundo sem cães e gatos seria... UM MUNDO TRISTE!

CARTEIRO VIRTUAL: LEMBRETE


.
VISITANTE E SEGUIDORES,
.
É com imenso prazer e satisfação que vejo que o "Carteiro Virtual" tem cumprido seu papel, de divulgador e intermadiário nas adoções de animais encontrados na rua.
.
Nossa caixa de "correio" está enchendo a cada dia. São em média cinco a seis pedidos diários, que são publicados, na medida do possível, assim que chegam ao nosso email. Um procedimento quase imediato, tipo: CHEGOU, POSTOU!!!
.
Porém, sinto que às vezes, a informação não é completa suficiente, pois quem manda, muitas vezes esquece de botar o DDD no telefone ou celular e com isso, a pessoa interessada em adotar um animal, fica sem saber pra qual cidade ligar.
.
Para facilitar ainda mais o contato, vocês já sabem: bote o DDD!!! (NÃO ESQUEÇA)
.
Afinal, de repente a pessoa pode ser seu vizinho de cidade e a ligação vai sair mais em conta. Lembre-se: A INTERNET É UM LUGAR QUE RECEBE INFORMAÇÃO DE TUDO QUE É LADO. Vamos falicitar...
.
Leon Danon

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: GATINHOS EM PERIGO (RUTH)


.
Oi amigos,
Me ligou uma pessoa chamada Binha de Castelo Branco, aflita com relação a situação de alguns gatos que os donos foram embora e os deixaram para trás.A comunidade onde estão , segundo ela , detesta gatos e ameaçam matá-los. Pelo visto cumpriram pois 02 machos já apareceram mortos. A gatinha que estava prenhe, pariu anteontem e tbm sumiu. Quando ontem ela me ligou os 04 gatinhos estavam sozinhos, com fome e frio e la desesperada sem saber o que fazer. Eram 10.30 hs da noite e eu nem sei onde fica Castelo Branco. Também não tinha onde colocá-los. Sempre nosso gde problema.Sugeri que os acolhesse mas ela disse que o merido detesta gatos. Sugeri que procurasse alguém que o fizesse na tentativa de salvar os filhotes.Existem mais gatos além desses. Segundo outra protetora , ela conseguiu que fiquem no Abrigo S.F de Assis em Paripe, mas o abrigo não os pega. Ela não tem carro, precisa de alguém que os leve até lá.Eu não tenho disponibilidade nesse momento. Por favor, se alguém puder transportá-los ate o abrigo o problema estaria sanado parcialmente e os gatinhos protegidos até serem adotados.
.
Os fones de Binha são: (71) 99465147 e 33013008
.
QUEM PUDER POR FAVOR AJUDE.
Um abraço pra todos.
Ruth
.
.
.
Pedido enviado ao nosso blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: ADOÇÃO FILA (JOICE)


.
"Amigos,
esse lindo fila bege tigrado é adulto mas jovem ainda. É maravilhoso, um encanto de cão, pois embora enorme, é extremamente dócile amoroso!!!! Adora um carinho, brincar... é apaixonante!
Merece um lar especial!!!!
Está castrado e vacinado.
.
.
.
.
CONTATO: Curitiba/PR
PROTETORA JANETE: janete.kos@hotmail.com
e (041) 3018-0521 /9117-7240
.
Obrigada!!!!"
.
.

Foto do fila para adoção. Vale muito a pena. Ele já vai pra você tratado (SEM PROBLEMAS)
.
.
Pedido enviado ao email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: NOTÍCIA DE LULY (RUTH)


.
"Amigos,
Tenho notícias boas de Luly. Está na Arca Veterinária, clinica da Drª Faye, submetendo-se a tratamento com acumpultura, o que muito tem ajudado no resultado positivo, além claro, da cirurgia competente executada por Dr. Francisco Daltro e sua equipe, na Unime. Permanece ainda internada por 02 motivos:
1º - a necessidade des sessões de acumpultura.
2º - Manter-se em repouso em espaço restrito, seguindo orientação médica do Dr. Francisco, até o seu completo restabelecimento após 30 dias da cirurgia qdo deverá ter alta.
Podemos comemorar!
.
Luly está cada dia andando melhor. Apenas uma das patinhas traseiras ainda dobra qdo anda.Por conta disso, Drª Faye " fabricou " ontem uma órtese com o objetivo de corrigir esse problema. Luly esta com uma botinha que irá ajuda-la a manter a pata na posição correta. Vejam as fotos. A internação de Luly na clínica está paga por 20 dias (até o dia 27.05 - amanhã), graças a uma protetora que como vcs, tem sido uma verdadeira fada madrinha na vida dela. Após esse período como expliquei acima, Luly precisaria ficar em repouso por mais 10 dias e ainda utilizando acumpultura. O custo desses 10 dias fica em R$ 200,00 mais a ração à parte.As sessões de acumpulturas tem o custo de R$ 70,00 cada. Não sabemos quantas mais seriam necessárias pois dependerá da resposta de Luly aos tratamento (qua até agora tem sido mto boa). Após resultados dos ultimos exames de sangue, constatou-se que Luly estava com erliquiose. Já está sendo medicada.Desconfiou-se também que estaria com uma hérnia onde poderia passar uma alça do intestino. Foi necessário submetê-la a 02 ultrasonografias desde qdo o primeiro ultra son não definu direito a situação. Fiz um segundo em outra clínica (consegui uma cortesia através do veterinário de minhas meninas) que graças a Deus esclareceu e não foi necesário operá-la.Tudo isso acarretou mais despezas, com exames e medicamentos.Por essa razão estou novamente a pedir por Luly contando com o carinho e generosidade de vcs, para que não tenha que interromper uma tratamento que vem dando tão bons resultados. Preciso prosseguir e não disponho dos recursos financeiros. Gostaria de poder terminar o que começamos. Ela é uma graça, está doidinha pra andar! precisam ver como parece querer compensar o tempo que ficou parada. Essa menininha tem garra. O pelo (lindo) que foi raspado pra cirurgia começa a se recompor. Os olhinhos cor de mel ainda são um pouco tristes mas no geral ela é alegre e brincalhona. Temos que lembrar que ela tem apenas 08 meses. Outra preocupação minha é que dia 07.06 sairá da clinica e ainda não tenho um lar pra ela. Volto a pedir ajuda no sentido de encontrarmos esse lar onde seja mto amada. Tbm não quero que ela seja um "presente de grego" para seu novo dono, porisso quero entregá-la o mais cuidada possível . Precisa apenas ganhar um pouco de peso e depois pensaremos em esterilização ( onde com certeza darei todo apoio ).Tenho certeza que estamos proporcionando qualidade de vida pra nossa menina, coisa que com certeza ela não tinha atéser socorrida.
.
Demostrativo de despezas:
Diagnovet (à pagar)....................................R$ 900,00
1ª ultra sonigrafia / sedação ........................R$ 160,00
2ª ultrasonagrafia (cortesia)
Material / remédios ....................................R$ 95,00
Total.....................................................R$1.155,00
.
Minha conta:
Bradesco ag: 3673-0
conta poupança: 100.2842-6 - Ruth Nunes
.
Gente,
preciso sair correndo pra comprar um colar elizabeta no maior pois Drª Faye acabou de me avisar que ela tirou a órtese.Mais uma vez não sei como agradeçer pela ajuda que possam dar. Certas atitudes não tem como serem pagas.Tenham certeza de que podem contar comigo sempre!"
.
Um abraço do tamanho da generosidade de vocês.
.
Luly e Ruth
.
.
.
Pedido enviado ao email do blog

Category: 0 comentários

INTERNET- CÃO: DEU NA REDE 01


.
Foi publicado na internet esse texto sobre a situação dos animais de circo. Alegria ou triste? diversão ou pervesidade? Tirem suas próprias conclusões. Não deixem de lê o texto a seguir:
.
POR QUE CIRCO LEGAL NÃO TEM ANIMAL?
.
Um dos argumentos utilizados por aqueles que criticam a Lei do Circo é de que as crianças ADORAM ver animais no picadeiro. Mas devemos levar em conta que as crianças são inteligentes e merecem nossa consideração, têm o direito de conhecer a verdade. Basta explicar-lhes o que significa a restrição da liberdade desses animais, a exploração em cima da sua dor, a falta de respeito para com eles, o sofrimento e o estresse de uma vida acorrentada, algemada, enjaulada, para que essas crianças digam NÃO aos circos com animais. Quem defende a permanência dos animais nos circos, defende apenas a sua própria nostalgia. Não pode argumentar que é cultura (pois cultura não se faz em cima da dor e do sofrimento de nenhum ser vivo); não pode argumentar que é educação (porque educação não se constrói em cima da omissão, do desrespeito e da mentira); não pode argumentar que é espetáculo (a não ser que defenda um espetáculo de terror); não pode argumentar que é alegria (porque um animal enjaulado durante uma vida inteira NÃO TEM ALEGRIA, ao contrário, é um animal triste e cheio de traumas); não pode argumentar que é diversão (porque é imoral divertir-se com o sofrimento de outro ser - o animal sofre e seria um absurdo pensar que ele não sente falta do movimento, do espaço, da dignidade perdida, dos companheiros de espécie, das atividades normais de uma vida em liberdade). Quem defende a permanência dos animais nos circos não deveria argumentar absolutamente nada, pois não tem capacidade de compreender que os animais são seres vivos, com direitos assegurados por lei, e mais, com sentimentos. Quem defende sua permanência nas jaulas incômodas, sujas e apertadas desconsidera esses direitos apenas para satisfazer seu egoísmo. É alguém que paga para ver um número ridículo de um elefante sentado em um banquinho (e a que custo ele chegou a isso...). Que mórbida diversão! Por esse "maravilhoso espetáculo" sacrificam a liberdade, o conforto, o bem estar, os sentimentos e, muitas vezes, a vida de outro ser!
NÃO EXISTE ANIMAL DE CIRCO, EXISTE ANIMAL EM CIRCO
.
.
Maria Luiza Nunes
Presidente do MGDA - Movimento Gaúcho de Defesa Animal
.
.
Texto postado originalmente no blog "Mãe Cão, Mãe Gato, mais um novo amigo e parceiro
de luta e causa de abandono de animais. Assim como a gente, ele está fazendo sua parte.

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: PROTETORA LIA (ROBERTALENA)


.
Lia é uma protetora que trabalha num pet shop, a muito custo ela vem mantendo quase 10 animais lá. Acontece que agora a pet shop vai fechar, essa semana que vem e ela (Lia) nao tem onde colocar esses animais, pois ela mesma irá perder o emprego dela e não poderá ficar com os animais nem coloca-los em lar temporarios. Se alguem tem adotantes, por favor liguem pra ela, lá tem uma poodle preta pequena mas cega, um poodle branco pequeno mas stressado, uma grande porte preta ainda não castrada, e alguns filhotes srd. Mas uma vez apelo a quem tiver interesse em ajudar por favor ligue pra ela e veja se tem adotantes para esses animais pois irão para nas ruas por que ela nao tem onde coloca-los. Ja mandei pra varios contatos meus e to tentando adoção pra alguns mas o tempo é curto, por isso apelo a quem puder indicar adoção. Grata pela ajuda e compreensão, o telefone de LIA é (71) 3237 0584.
Vamos lá quem puder adotar ou indicar adotantes ou mesmo repassar aos seu contatos seria benefico.
.
Roberlena
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: CADELA NO CIO 2- AV. MANOEL DIAS DA SILVA (RUTH)


.
"Amigos,
.
Todos ou quase todos vcs receberam meu e-mail falando sobre a situação da cadela no cio na Manoel Dias.
Estou muito preocupada pois desde o dia 24.05 (segunda feira) às 17 hs os vi pela última vez exatamente em frente ao Banco do Brasil. Simplesmente DESAPAREÇERAM, a cadela e os 12 cães.
Estava providenciando resgatá-la na tentativa de esterilização antes de 15 dias , para isso pedi ajuda de vocês. Na noite do dia 24, já não apareçeram mais e estão SUMIDOS até hoje
( 03 dias). Pela manhã andei pela Manoel Dias procurando saber notícias de pessoas como taxistas, manobristas, barraqueiros e moradores. Todos vinham acompanhamdo o movimento desses animais mas assim como eu, ninguém sabe dar noticias deles desde a data acima.Deixei meu telefone pedindo que me avisem caso os localizem. Procurei tbm pelas ruas próximas que ficam paralelas a Manoel dias e nada! Aos que moram na Pituba por favor fiquem atentos. Gente, temo pelo pior pois com certeza possoas que nunca se incomodaram com esses animais, de uma hora pra outra iriam arranjar um lar pra cada um dos 12? Eu vivia preocupada com o número de animais abandonados sem saber como fazer pra resolver o problema. Por várias vezes comentei isso com outras protetoras mas como resgatá-los e colocá-los aonde? Sempre o mesmo dilema. Se não seguiram a cadela e foram pra outro local, coisa que eu acho difícil, pois todos eles eram daqui da área, ONDE ESTARÃO ESSES ANIMAIS? QUE FAREMOS? COMO ACHÁ-LOS?"
"12 animais não somem num passe de mágica"
.
Abraços,
Ruth
.
.
Pedido enviado ao email do blog

Category: 1 comentários

JUSIÇA CANINA: CRIAÇÃO DO GRUPO DE DEFESA ANIMAL


Ministério Público antecipa criação de Grupo de Defesa Animal

.
Em audiência ocorrida na última segunda-feira, o Procurador Geral de Justiça de São Paulo, Fernando Grella Vieira, anunciou a antecipação da criação do Grupo Atuação Especial de Defesa Animal dentro do Ministério Público de SP, que agirá na repressão aos crimes cometidos contra os animais. O grupo contará com promotores de justiça especialistas no tema e responderá diretamente ao Procurador Geral, atuando nas áreas cível e criminal. A adiantamento em relação a prazo manifestado anteriormente pelo MP ocorre em atenção ao pedido do deputado estadual e procurador de justiça Fernando Capez e dos apoiadores da campanha "Direitos animais, uma questão de JUSTIÇA!", representados no encontro pelo coordenador do grupo Sentiens Defesa Animal, Maurício Varallo. A campanha conta até o momento com o apoio de mais de 17 mil signatários e o endosso de cerca de 210 instituições de todo o país.<>O procurador Fernando Grella Vieira se comprometeu a concluir a instalaçao do grupo até o próximo mês de dezembro. A equipe terá sua base na Procuradoria Geral de Justiça, em São Paulo, capital. A criação de um Grupo Especial é o primeiro passo para a criação da Promotoria de Defesa Animal, caminho percorrido para a instalação de outras promotorias especializadas, como a de combate à sonegação fiscal. Veja a cronologia da criação da Promotoria de Defesa Animal * 28 de outubro de 2007 - Apresentação e aprovação da tese sobre a criação da Promotoria de Defesa Animal no 11º Congresso de Meio Ambiente do Ministério Público do Estado de São Paulo, em São Roque/SP, texto de autoria do promotor de justiça de São José dos Campos, Laerte Fernando Levai.
.
* 06 de abril de 2008 - Publicação da tese da Promotoria de Defesa Animal na Revista Pensata Animal - http://www.pensataanimal.net/artigos/46-laertelevai/56-promotoria-de-defesa-animal.

* 21 de fevereiro de 2010 - Início da campanha "Direitos animais, uma questão de JUSTIÇA", pela criação da 1 Promotoria de Defesa Animal do Brasil.

* 14 de abril de 2010 - Protocolamento de petição pelo deputado Fernando Capez solicitando a criação da Promotoria de Defesa Animal em SP

* 24 de maio de 2010 - Anúncio da criação do Grupo de Atuação Especial de Defesa Animal pelo Procurador Geral de Justiça de São Paulo, Fernando Grella Vieira, que recebeu em audiência o deputado estadual e presidente da Comissão de Constituição e Justiça da ALESP, Fernando Capez, a advogada Stela Prado e o ativista Maurício Varallo.
.
Foto: Assessoria de Comunicação do Ministério Público de SP
.
Participaram do encontro a advogada Stela Prado, o coordenador do grupo Sentiens Defesa Animal, Maurício Varallo, o deputado estadual Fernando Capez e o procurador geral de justiça de São Paulo, Fernando Grella Vieira

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: LABRADOR (MARY)


.
"LABRADOR PARA DOAÇÃO
Sexo: Macho
Idade: 2 anos
Castrado e Vacinado
.
ATENÇÃO: Só será doado para pessoas com espaço grande. Animal muito ativo e brincalhão.Não será doado para deixa-lo num canil ou amarrado."
.
Informações: (41) 9698-6900
Conheça outros cães e gatos que precisam de um lar!!!
Orkut: caesegatosparadoacao
.

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Foto do labrador. Lembrete: Não esqueça que o cachorro é de grande porte e não pode ser criado em lugar pequeno
.
.
Pedido enviado pelo email do blog
.
.
.
OBSERVAÇÃO: Email enviado do Paraná. Ou seja, nosso "CARTEIRO VIRTUAL" tá indo longe!!!

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: 08 CÃES AMBANDONADOS (RUTH)


.
08 CACHORRINHOS ABANDONADOS NA ONDINA
.
"OI GENTE,
A PROTETORA INFORMOU QUE A NOTICIA SAIU NO JORNAL A TARDE DE HOJE (DOMINGO) NÃO SEI SE EXISTEM FOTOS.
SE ALGUÉM TIVER O JORNAL É BOM VERIFICAR.
SEGUNDO ELA, OS ANIMAIS TÊM BOA APARÊNCIA ESSA INFORMAÇÃO DEVE ESTAR NO JORNAL, POIS ELA NÃO OS VIU. NÃO SÃO ANIMAIS DE RUA
E POR ISSO MAIS ATORDOADOS FICARAM, POR NÃO ESTAREM ACOSTUMADOS."
ABRAÇOS,
Ruth (parte 1/2)
.
.
"AMIGOS,
POR FAVOR REPASSEM OU QUEM PUDER FAÇA ALGUMA COISA!
RECEBI E-MAIL DE UMA PROTETORA DIZENDO QUE ONTEM UMA CAMINHONETE PAROU EM ONDINA, NUM JARDIM PROXIMO AO ZOOLÓGICO E ABANDONOU 08 ANIMAIS!
NÃO SEI DETALHES. SEGUNDO ELA ESTÁ PUBLICADO NO JORNAL
A TARDE DE HOJE (domingo).
GENTE, ESSA PRÁTICA ESTÁ SE TORNANDO CORRIQUEIRA.
QUE PODEMOS FAZER PARA TENTAR MUDAR ISSO?"
UM ABRAÇO,
Ruth. (parte 2/2)
.
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: GATO SIAMÊS PARA ADOÇÃO (ANA LÚCIA)



.
"Prezados,

Este lindo gato da raça Siamês, já castrado, precisa de um lar.
Interessados contactar"

Janaína 8746-0115 / 8605-9000
Núbia 8745-7295

Atenciosamente
Comissão Administrativa da Associação Célula Mãe

.
.
Foto do gato pra adoção
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 1 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: CACHORRINHOS ADOÇÃO (ANA LÚCIA)


.

"Pessoal:

Esses cachorrinhos foram abandonados no ponto de ônibus da Sefaz Bahia recentemente. Eram 4 numa caixinha de papelão... 2 faleceram...
Eles precisam de um lar de verdade... por hora, estão perto da guarita da Sefaz mas nem todo mundo aprova e é bem fácil de imaginar o q
pode acontecer em pouco tempo... fora o risco de serem atropelados...

Vamos divulgar?"
.
.
Atenciosamente,

Marly Britto
SEFAZ-BA/SGF/DTI/GEDES
(71) 3115-8895
.
.
.
Fotos dos cachorrinhos (02 já faleceram infelizmente)
.
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: CADELA NO CIO - AV. MANOEL DIAS DA SILVA (RUTH)


.
"Amigos,
.
Gostaria muito de só ter que falar com vcs de assuntos bacanas e divertidos mas qdo se trata de animal de rua (abandonados, perdidos, sem donos) isso nunca é possível. Como protetores que somos, não podemos fingir que não vemos o que aconteçe embaixo do nosso nariz.Precisamos urgentemente conseguir tirar uma cadelinha srd das ruas, pra tentar esterilizá-la ainda antes de 15 dias. Digo isso porque há 06 dias essa cadela entrou no cio e não tem sossego, dia e noite, pois os 12 machos que ficam na Manoel Dias, cruzam com ela o tempo todo. Ela já não aceita mais, está exausta, machucada, fica sentada ou deitada, tentando evita-los mas não consegue pois qdo levante eles aproveitam e cruzam machucando-a bastante pois são muitos.
Vocês podem imaginar a confusão que é pois eles brigam entre sí, passam de um lado pra outro da Manoel Dias , com todo aquele trânsito, em tempo de serem atropelados, latem a noite toda e a madrugada tbm. Não deixam ninguém dormir há 06 dias.Felizmente, não tiveram ainda, a idéia de jogar água quente neles, de acelerar qdo eles estão no meio da rua ou colocar chumbinho na comida pra que morram. (Falando pareçe um horror mas sabemos que alguns "humanos" são bem capazes disso). Não tenho como me meter entre os 12 cães pra tirar a cadela. Se conseguisse, não tenho onde colocá-la.Volto a insistir que precisamos providenciar o resgate e esterilização dessa cadelinha enqto é tempo pois daqui alguns meses, mais filhotes sem dono estarão pelas ruas.Sei que o cio vai passar, sei que é natural que os cães cruzem mas e as consequências dessa situação em particular? Vamos nos movimentar pra conseguir resgatá-la, conseguir a ciruirgia e local pra ficar no pós operatório. Se depois não conseguirmos adotante pra ela, até que volte pras ruas, mas esterilizada.Precisamos ser rápidos.
.
Essas fotos que tirei hoje foi exatamente às 14 horas em plena Manoel Dias (pituba). Alguns deles estavam aguardando ela levantar pra começar tudo de novo. Pra sinalizar, ela é a cadelinha cinza. Conto com vocês.
.
Um abraço grande,"

Ruth.
.
Obs. o Blog só publicou esta foto, pois ilustra muito bem o sufoco da cadelinha.
.
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: CADELINHA PRA ADOÇÃO (RUTH)


.
Oi gente!
.
Já tentei fazer um pacto com S. Francisco de Assis mas ele não quer cumprir com a parte dele. Depois de " Luly " que ainda está sob meus cuidados, pedi pra ele aliviar um pouco e vejam o que ele me apronta.Ontem, na rua Minas Gerais - Pituba, me batí com uma criaturinha molhada e perdidona. Jurei que não tinha visto, foi impressão , ela tem dono. Continuei providenciando tudo que tinha por fazer e essa tal criaturinha resolveu me acompanhar.Procurei saber nas redondezas de quem era mas ningúem soube dizer. Quando entrei na costureira, ela entrou atrás e lá ficou até a hora que fui embora, me acompanhando até o carro.Pensei em fechar a porta e ir embora, mas não consegui pois ela continuava ainda molhada, me olhando com aquele olhar que nós protetores entendemos mto bem.Pensei: não é possivel S. Francisco, não tenho onde abrigá-la e ainda estou mto comprometida com Luly ( além dos outros que ajudo). Liguei pra uma amiga, que tem 88 anos e já tem 04 animais, mas tem um peq espaço disponível, pedindo pra acolhê-la temporariamente até encontrar um lar definitivo pra ela.É uma menina srd, pequena, com aparência saudável, de início assustada mas depois meiga e dócil. Parece ter menos que 02 anos. Preciso vaciná-la e vermifugá-la, colocando-a para adoção. Mais uma vez peço ajuda dos amigos pra conseguirmos um lar feliz para SOL. (assim será chamada apesar de ter sido encontrada num dia de muita chuva). Divulguem por favor."
.
Um abraço grande,
Ruth.

.
.
Foto da Cadelinha
.
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTAZ DA PRÓXIMA FEIRA DE ADOÇÃO


.
Clique na imagem para visualizar
.
.
DIAS: 23 E 30/05 - 02 DOMINGO
(esse agora e o próximo)
HORA: Das 9:00 às 13:00
LOCAL: PITUBA
(Praça Ana Lúcia Magalhães - atrás do Colégio Militar na Pituba)
.
.
.
.
APAREÇAM!!!
.
.
Informação enviada pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: CASAL DE GATOS (ANA LUCIA)




.
"A Lissandra está com esse casal de gatinhos para adoção.
.
Interessados devem encaminhar e-mail para o e-mail lissandra.galhardi@gmail.com

Os fofinhos estão com quatro meses.
beijos."
.
.
.
.
.
.
Fotos dos gatos pra adoção
.

Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: GATINHA PARA ADOÇÃO (ANA LÚCIA)


.

"Essa gatinha linda foi encontrada no estacionamento de um dos condomínios do Imbui e agora precisa de um lar.

Vamos divulgar?

Quem a socorreu avisa que ajudará nos custos da castração.

Ela conta também que a gatinha precisa sair do estacionamento urgentemente porque já sofreu maus tratos dos moleques da região

Contatos: Lorena:
lorena.daltro.cova@gmail.com

Bjs.
.
E.T:
Gente, pelo que vi na foto, essa gatinha é mistura de Siamês com viralata, normalmente tende a ser muito tranquila e carinhosa.
Tenho uma em casa, muito parecida.
.
Vamos divulgar para arranjar um lar para ela."

bjs

Ana Lucia Andrade
.

.
Foto da gatinha
.
.
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários

CARTEIRO VIRTUAL: POODLE PARA ADOÇÃO (RUTH)


.
"Olá!

Esse poodle está prestes a ser abandonado pelo seu dono.
Estou fazendo de tudo
para ele aguardar a sua adoção.
.
Por favor, divulguem!"
.
Contato:
Tatiana
Celular: (71) 8899-5110
ou Telefone: (71) 3272-3055
.
.
.
Foto do poodle.
Ele espera por você!
.
.
Pedido enviado pelo email do blog

Category: 0 comentários