REPORTAGEM E ENTREVISTA COM A "MÃE CÃO, MÃE GATO"

Minhas idas e vindas na internet têm causado grandes surpresas e a última foi ter encontrado um blog de um nome muito sugestivo: O Mãe Cão Mãe Gato que soa como mãezona para esse queridos peludos, que tão um trabalho danado como qualquer outro filho (independente da idade) a seus pais.
Então me deixei levar pela coceira da curiosidade e convidei para uma entrevista a Mãe Cão Mão Gato aqui no nosso blog. A Nati teve uma calorosa receptividade e topou na hora “matar” um curioso respondendo nossas perguntas. Vejamos:
.
Há um ano, Natalia Domingues, uma gaúcha de Porto Alegre, vem escrevendo em seu blog suas experiências de vida com cães gatos e outros animais. São histórias de suas vivências, dicas e posts sobre adoção.
.
O maecaomaegato.blogspot.com, surgiu para transformar seu gosto pela escrita na tentativa de trocar idéias com pessoas que tem seu mesmo amor: os animais.
Apreciado e seguido por pessoas de diversos lugares do Brasil e de Portugal, o Mãe Cão, Mãe Gato é um blog descontraído, que na simplicidade busca ajudar aqueles que nos proporcionam o amor incondicional e muitas alegrias.
.



.
.
............................................................Nati e seu filhote, canino é claro!
.
1. De onde veio a ideia do nome “Mãe cão mãe gato”?
Sempre fui criada com muitos bichos. E desde pequena, uma cultura antiga já em minha família adotou animais de rua ou aqueles que “já não agradavam” mais seus donos acabavam por serem deixados lá em casa. Por isto, todos os animais que até hoje passaram por meus cuidados, sempre os chamei de filho e aquela clássica expressão “vem com a mãe”... Foi daí que veio a idéia de criar um blog que eu pudesse contar as histórias dos meus animais, e uma maneira de conscientizar as pessoas trazendo novidades, dicas e as vivências do dia a dia. Mãe Cão, Mãe gato expressa uma forma de ser mãe!
2. O nome Mãe cão mãe gato revela que você parece ser uma mãezona, é verdade? Bate no coração um sentimento materno pelos cães e gatos ou por qualquer animal?
Ainda não tive a experiência de ser mãe. Mas quem é, diz que o coração é todo para o filho. E isto eu tenho... A forte emoção de estar com meus filhos cães e gatos, de contar as horas para chegar em casa e estar com eles. É um sentimento que nutre um amor inexplicável. Amo muito os animais!
3. Qual a diferença de comportamento entre um cão e o gato? O cão é fiel, mas não é tão amoroso e o gato é chegado a um carinho, porém não é muito apegado, é isso mesmo?
Os dois são muito amorosos. Apenas expressam de maneira diferente. A experiência que tenho com cães e com gatos, mostrou sempre um grande amor nas duas espécies. Inclusive entre eles aqui em casa o relacionamento é super harmonioso. Acho que o amor é muito bem dividido e eles retribuem com casa ronrom e cada lambida...
4. A Mãe cão mãe gato é voltada somente para cães e gatos?
O blog é direcionado aos animais. Até porque já tive outras espécies pelo qual cuidei adotando provisoriamente minha casa para tirar das ruas, como uma macaca sagüi e uma cabrita. Todos retirados da rua ou dos donos por maus tratos.
5. Vocês trocam muitas informações com pessoas, donas de cães e gatos ou não necessariamente?
Muito! Trocamos muitas experiências e até solidariedade quando um filho ou outro acaba morrendo. O blog é uma forma de trocar pensamentos através da escrita.
6. O brasileiro tem um gosto especial para cães e gatos?
O Brasileiro é muito afetuoso por natureza. Com certeza deve ser o povo que mais luta pelas causas animais.
7. Os cães e os gatos precisam de pessoas que sejam uma “mãe cão mãe gato”?
Precisam e muito! Felizmente conheço muitas pessoas do bem que adotaram a causa animal como sua tarefa no mundo. As pessoas mal podem imaginar que adotar provisoriamente um animal, tratá-lo e doá-lo para alguém que realmente goste já é uma grande atitude! Só ficam culpando o poder público... Isto não adianta nada! Se tivermos uma causa e sabemos que ela nos toca temos que arregaçar as mangas e ir à luta.
8. Você conhece alguém que gosta mais de um cão do que de um gato ou vice-versa?
Conheço. Mas são pessoas que não tiveram a oportunidade de ter os dois juntos. É uma experiência incrível!
9. Quem é melhor companhia, um cão ou um gato? Existem diferenças, quais?
Os dois são excelentes companheiros. Quando estamos tristes, quando estamos felizes eles estão sempre junto conosco. Vibram em nossa sintonia. E acredite: eles sentem e entende tudo, tudo mesmo.
10. A discussão é infinita quando se trata de cão e gato? Existem torcidas organizadas?
Através do mundo dos blogs percebo que existem pessoas mais afeiçoadas a gatos e outras mais a cachorro, mas acho que isto não significa nada. Quando a pessoa gosta de animais o amor bate sempre mais forte. Percebo que o simples fato de gostar de animais em geral faz as pessoas serem solidárias e buscar o bem estar, independente da espécie ou da raça. O Amor sempre vence!
11. Por que há tantos cães e gatos abandonados na rua? A culpa é da sociedade que é insensível a esse problema ou se trata de não termos uma política pública eficiente voltada para essa situação?
Infelizmente a política governamental influencia bastante nas questões de proteção animal. Percebo que os políticos tratam esta causa com menos prioridade. Porém a solidariedade é muito grande. Vemos hoje o crescimento das Ongs e da conscientização das pessoas para a adoção dos bichos de rua. Felizmente temos a internet e os meios de comunicação a nosso favor o que nos ajuda a trabalhar cada vez mais nas pessoas a solidariedade com os animais.
12. Os cães e os gatos são os que mais sofrem, por quê?
Devido à superpopulação de animais jogados nas ruas, os cães e gatos com certeza são os que mais sofrem. Tudo isto em função de que se reproduzem com muita facilidade. A castração resolve isto, e temos isto a baixo custo. Se cada pessoa pudesse pagar a castração de um cão e de um gato de rua, já resolveríamos boa parte deste problema.
13. Vocês da Mãe cão mãe gato concorda que não temos nenhuma solução imediata para o problema crônico dos animais de rua. E se temos, qual seria?
Não consigo enxergar soluções imediatas. Mas sou grande defensora do lar provisório e da castração. Quantos animais tirei da rua, solicitei castração e doei para alguém que cuida bem até hoje? Fica aí uma reflexão de uma simples atitude que pode mudar muita coisa...
14. Podemos dizer que o Brasil pode ser considerado um país que não cuida e não trata dos seus animais? Como vocês lidam com essa triste realidade?
Infelizmente vivemos em um país que não consegue cuidar bem nem de seu povo. Só que temos que pensar que cada um vem a terra com uma missão. E se nos identificarmos com a missão de cuidarmos dos animais, assim como existem pessoas que se solidarizam com pessoas, temos que lutar e lutar. Não podemos deixar para depois aquilo que podemos fazer agora. E os animais precisam de nós.
15. As ONGS da causa dos animais abandonadas faz da educação uma maneira de termos consciência sobre esse problema. Ou seja, será ela a responsável da nossa mudança de atitude. A Mãe cão mãe gato o que tem a dizer sobre o assunto?
Os Ongs ajudam e muito, pois além de acolher os animais conscientizam as pessoas de quanto é importante a adoção e mais do que isto, a posse responsável.
16. A educação serve como uma ferramenta aliada à questão dos animais de rua de que forma?
A educação vem de berço, como já dizia antigo ditado. Já tive experiência com pessoas que não gostavam de animais, mas como exigir isto delas se ao menos tiveram um contato com um bichinho? Educar para a causa animal é primeiramente gostar, se identificar com este problema. Tem que ter fibra, colocar a mão na massa e não se render quando um simples obstáculo aparece.
17. Recentemente a Rede Globo fez uma retratação sobre uma reportagem do programa “Boa dia Brasil” que tratava a eutanásia como uma das soluções (usadas com freqüência nas grades cidades) para tantos animais abandonados na rua, ou seja, matar um bicho virou controle populacional animal. Não existe um equivoco nesse controle? Qual seria a solução sem sacrificá-los?
Esta seria uma solução imediata para combater a superpopulação de cães e gatos. Porém acho uma solução triste e sem escrúpulos. Animais são seres vivos, que tem sentimentos, assim como nós.
18. O movimento de proteção animal tem de atingir em todos os campos, inclusive na internet, um meio altamente democrático. A união ainda faz a força? Como devemos fazer para que essa mobilização tenha sempre força em prol dos animais?
Acho que devagarzinho nosso movimento “do bem” está atingindo todos os meios de comunicação. Sem dúvida a internet é o meio mais democrático e com eles estamos conquistando grandes vitórias, principalmente em relação às adoções.
19. Vemos na internet um grupo cada vez maior voltado à causa dos animais. Qual a razão dessa crescente realidade?
Acho que num mundo moderno, onde as pessoas estão cada vez mais tristes, estressadas e infelizes, as pessoas descobrem o verdadeiro e incondicional amor que os animais nos oferecem e acabam descobrindo a grande vontade de lutar por eles, de abraçá-los de verdade. Acho que vem daí o grande crescimento de pessoas envolvidas com a causa animal.
20. Sabendo da dificuldade que passa todos os grupos que defendem os animais. Qual é a sua maior dificuldade e como podemos ajudá-la?
Eu não tenho uma ONG, mas procuro ajudar voluntariamente a várias. Acho que a maior dificuldade é a conscientizarão sobre o controle de animais de rua, através da castração.
21. O trabalho de adoção de animais é cansativo? Quem adota leva um animal tratado e quais são os tratamentos aplicados?
Este trabalho jamais é cansativo, pelo contrário ele é compensador. Todas as ONGS que freqüento trabalham com a Posse responsável, onde o animal só é doado mediante a alguns fatores, como a assinatura de um termo e apresentação do comprovante de residência. Geralmente quem adota se responsabiliza pela castração do animal, por suas vacinas e medicações. Em alguns casos, como os que citei daqui de casa, onde fiz de meu lar um lar provisório, o animal já é doado castrado e com todas as medicações em dia.
22. Quem é mais adotado: um cão ou um gato e qual é o percentual?
Desconheço os percentuais, mas pelas minhas “andanças”, vejo que as pessoas procuram mais o cachorro. Acredito que estes índices têm mudado bastante, já que gatos e cachorros têm suas particularidades e vai muito do que o adotante está procurando no momento.
23. Fale-me do seu trabalho voluntário? Tem muita participação voluntária?
Ajudo as ONGS, em feiras, eventos e na divulgação de campanhas de castração, adoção e doação de comida. Mas tenho mesmo é cedido o meu lar como provisório, para tratar de animais e doá-los posteriormente.
24. A Mãe cão mãe gato conseguiria viver sem seus cães e gatos? Ou melhor, o mundo sem cães e gatos seria... UM MUNDO TRISTE!

1 comentários:

Gigi e Lola disse...

EU AMO O CAOTINHO MÃE CÃO, MÃE GATO E AUDOREI A ENTREVISTA!!!

TENHA UM LINDINHO FIM DE SAMANA!!!

LAMBEIJOKAS E AUBRACINHOS

LOLA

Postar um comentário